Solidariedade Voluntariado

Projeto “Fazer Diferente” realiza ações sociais em Macapá e Santana

Por Joyce Batista

Cerca de 30 pessoas de Macapá e Santana estão contagiando os amapaenses com um projeto social, cujo próprio nome propõe “Fazer Diferente”. Criado em 2018, a iniciativa visa suprir as necessidades da população amapaense de forma mais abrangente, atendendo as áreas social, cultural, esportiva e política de quem mais precisa.

O fundador do projeto é Mario Guilherme de Souza Viana, um jovem estudante de 22 anos engajado com a solidariedade. Antes de fundar o “Fazer Diferente”, Mario participava de outro projeto social, mas viu a necessidade de ampliar o atendimento e então convidou alguns colegas para atender as mais variadas demandas. 

“Um dos nossos legados que nossas ações sociais deixam é de que a gente mesmo pode fazer a diferença, às vezes esperamos tanto por nossas autoridades políticas que acabamos deixando a desejar naquilo que nós mesmos poderíamos fazer. Então, a gente pode fazer a diferença, ir lá e tomar a iniciativa, de recolher o lixo que está na frente da nossa casa ou ajudar nosso vizinho, não é preciso muito para fazer o bem”, afirmou Mario Viana.

Começou em Santana

Como a maior parte dos voluntários é santanense, o projeto iniciou sua atuação com uma limpeza na área de ressaca do bairro do Ambrósio e com a oferta de cinema para crianças do bairro Elesbão, ambos em Santana. Mais recentemente, o trabalho do grupo se estendeu à capital amapaense, com a distribuição de sopa no Hospital de Emergência.

O “Fazer Diferente” também pretende atuar na área política, realizando audiências e plenárias para detectar os problemas de cada bairro e identificar suas respectivas soluções. Atualmente, as ações são organizadas por estudos prévios feitos pelo próprio grupo.

Todas as atividades são realizadas de forma independente, sendo que os próprios voluntários estão bancando tudo. Segundo Mario, apesar de todo esse esforço pessoal e financeiro, o trabalho tem sido recompensador.

“A parte mais importante é ver o agradecimento e a felicidade das pessoas porque elas estão se sentindo bem com o que a gente está fazendo. Tem pessoas que se emocionam com as ações e é isso que buscamos, que as pessoas nos reconheçam por nossas ações, pelo bem. Nós queremos contagiar outros jovens a fazer o mesmo pela sociedade”, contou.

Colabore com essa iniciativa

A população em geral também pode ajudar sinalizando suas demandas para o grupo, assim como se candidatar ao voluntariado ou ajudar através de doações. Para saber mais sobre como contribuir com o projeto “Fazer Diferente”, basta entrar em contato pelo telefone (96) 99136-2723/981038031.

Marcelle Nunes

Jornalista, amapaense, irmãe, sagitariana com ascendente em gêmeos e - talvez por isso - naturalmente faladeira.

Adicionar Comentário

clique aqui para adicionar comentário

error: Conteúdo Protegido!!