Solidariedade

Universitários amapaenses se unem para reformar casa de colega destruída pela chuva  

Por Joyce Batista

 

Não foi só o sonho da formação acadêmica que uniu cerca de 40 calouros do curso de Teatro da Universidade Federal do Amapá (Unifap). Após uma forte chuva no início deste mês, que destruiu grande parte da casa de uma acadêmica do curso, a turma se uniu para realizar uma reforma estrutural no espaço, algo que a condição financeira da família não permite no momento.

A casa atingida pela chuva é da estudante Rose Ingrid, de 24 anos, que está no primeiro semestre da graduação. No local construído em madeira frágil, mora somente ela e a mãe. As duas ainda continuam na mesma situação desde a forte chuva, mas agora esperançosas, pois muitas pessoas estão empenhadas em fazer algo por elas.

Desde o ocorrido, os colegas universitários realizam eventos para arrecadar dinheiro para a compra de materiais de construção e o pagamento da mão de obra para reconstruir duas paredes e uma parte do teto. A ideia é iniciar o trabalho ainda em abril, pois o inverno no Amapá ainda está longe de acabar.

“Continua chovendo e eles continuam sem ter onde se abrigar, pois uma parte da casa eles podem circular, mas na outra não porque chove dentro. Então, a gente quer fechar isso para elas conseguirem viver dentro da casa e depois a gente vê o que podemos continuar fazendo para reformar tudo. A nossa meta é comprar materiais que dê para construir pelo menos duas paredes que segurem a estrutura da casa”, afirmou Jéssica Thais Lima dos Santos, acadêmica de 21 anos que está à frente da mobilização.

Além das doações em dinheiro e de materiais de construção, os alunos arrecadam recursos através da realização de brechós, onde vendem roupas, sapatos, livros e acessórios em praças da cidade durante os fins de semana. Outros eventos também estão sendo idealizados com o mesmo objetivo.

Para alcançar o objetivo de arrecadação, os alunos de Teatro da Unifap pedem não só a colaboração da comunidade acadêmica, mas também da população externa.

“Todo mundo sabe como é difícil ou pelo menos imagina como não ter um lugar para morar ou onde se abrigar. Então, a gente pede que as pessoas ajudem porque olhar para o outro é uma coisa necessária e o que cada um fizer, já será muito bem vindo”, concluiu Jéssica.

Para saber mais sobre como ajudar, basta entrar em contato através do telefone (96) 99197-6777.

error: Conteúdo Protegido!!