Esporte ONGs

Vitórias que vão além dos pódios em projeto social de Jiu-Jitsu na zona norte de Macapá

Por: Joyce Batista
 
Com o objetivo de transformar vidas, um projeto social foi implantado há cerca de seis meses na área mais populosa de Macapá, dando a oportunidade a famílias de baixa renda de conhecerem uma das mais famosas artes marciais japonesas. Atendendo atualmente cerca de 40 crianças e jovens, a Escola de Jiu-Jitsu 096 está levando novos talentos do esporte aos pódios.
O projeto surgiu após um convite de Wanderson “Panda” – atleta amapaense que também possui um projeto social voltado ao esporte na capital – a Jhonatan Guido dos Santos Silveira, de 25 anos, que também é atleta de MMA e faixa preta de jiu-jitsu. A ideia era ter mais um espaço para as aulas esportivas, visando alcançar mais pessoas.
Apesar de existir há pouco tempo, o projeto 096 já ganha notoriedade em competições. Na última delas, todos os 30 participantes inscritos pelo projeto ganharam medalhas em suas categorias. Um deles é o Elias Miranda da Silva, de 12 anos, que ganhou medalha de ouro na IV Etapa do Amapaense de Jiu-Jitsu SESI.
Segundo Elias, o projeto tem ajudado em outras conquistas como a melhora no comportamento e rendimento em casa e na escola. “Eu aprendi a me comportar não só aqui, mas em casa também. A gente aprende a ser obediente e que é importante tirar notas boas”, disse o menino.
Além das medalhas individuais, o projeto se tornou campeão estadual do campeonato SESI, título que incentivou ainda mais a garotada. “Nosso foco em 2019 é crescer mais ainda e tentar duplicar o número de crianças, focando também em competições, pois todos eles são competidores”, contou o professor Guido Santos.
Muito além do Jiu-Jitsu
As aulas gratuitas acontecem de segunda a sexta-feira, a partir das 18h30, em uma área cedida dentro do 2° Batalhão da Polícia Militar, mas além da prática esportiva, o projeto busca repassar noções de valores sociais e cidadania.
“Além do esporte, a gente procura passar a educação dentro e fora do tatame. Dentro do Jiu-Jitsu, existem vários níveis de experiência, uma hierarquia onde o mais novo respeita o mais velho. O esporte também agrega na autoconfiança, no respeito dentro de casa, na coordenação motora e em outras coisas também”, disse o professor.
A oportunidade de conhecer a prática esportiva também objetiva diminuir as chances de contato com as drogas por parte dos alunos, além de dar um novo sentido à vida, como aconteceu com Marcilene Farias da Silva, de 25 anos.
“Eu vi o Jiu-Jitsu como uma oportunidade, eu estava em casa quase entrando em depressão e uma amiga minha me convidou para participar, para que eu fizesse alguma coisa. Eu gostei e estou aqui até hoje, já participei de campeonato, ganhei medalha e estou seguindo o rumo do esporte”, contou Marcilene.
Apoie essa iniciativa
O projeto 096 é totalmente independente e assim como cada luta, manter a iniciativa tem sido um desafio. Por isso, a iniciativa está aberta a todo tipo de apoio.
“Nosso alvo sempre foram as crianças carentes e nem todo mundo tem kimono ou uma faixa. No último campeonato, a gente teve que correr atrás para inscrever as crianças. Então, precisamos de ajuda”, afirmou Guido Santos.
Doações e demais informações: (96) 98141-4875/98118-3262
Tags
error: Conteúdo Protegido!!